BRINQUEDOS/BRINCADEIRAS E A REPRODUÇÃO DO MACHISMO: COMO ISSO ACONTECE?

Compartilhe:

Devemos buscar refletir sobre como o reforço dos estereótipos de gênero dividem a sociedade em um universo binário/sexista, tornando a mulher um ser inferior ao homem. Nossa sociedade reprodutora de valores históricos determina papéis aos meninos e às meninas, contribuindo para a consciência da liberdade masculina e da fragilidade feminina. Partimos da ideia em que vivemos em uma sociedade determinista onde podemos descrever diversas situações em que se espera que homens e mulheres, meninos e meninas adotem posturas de como devem agir na sociedade. E isso acontece através de atos que achamos inocentes e que chamarei a atenção nessa escrita, como por exemplo brincadeiras e brinquedos determinados para cada sexo.

O universo dos brinquedos e brincadeiras infantis é o tipo de lugar/vivências que os estereótipos de gênero são visíveis, a divisão entre coisas de meninos e coisas de meninas é evidente, e isso se torna LIMITADOR, entendam o porquê. A sessão das meninas é marcada por uma explosão de rosa, branco e lilás; às vezes, é difícil encontramos brinquedos para meninas diferentes de bonecas e utensílios domésticos. Enquanto os meninos ficam com os super-heróis, animais selvagens, espadas, armas, legos coloridos, ferramentas de construção, carrinhos, robôs, naves espaciais, entre muitos outros. Apenas com esse primeiro pensamento, consegue perceber a diferença?

Continuando, as brincadeiras e brinquedos são extremamente importante para o desenvolvimento infantil, é no brincar que a criança experimenta, descobre potencialidades, socializa, constrói valores, usa e abusa da imaginação e também aprende sobre seu lugar no mundo. Eis que está o problema: a limitação a experiência das meninas sempre atrelada a delicadeza, princesas, panelinhas, bebês, conjunto de chás...onde são colocadas para vivência do universo doméstico e reproduzimos valores da maternidade compulsória, do comportamento dócil e da dependência.

Ao impedirmos que meninos brinquem de boneca, também os impedidos que desenvolvam o cuidado, a empatia, a sensibilidade, onde sustentamos o universo masculino movido pelo controle, poder, valentia e agressidade e então essas características chamam atenção em seu desenvolvimento.

Essa visão estereotipada reflete em consequências na nossa sociedade, a hierarquia entre os gêneros. Onde cabe à mulher o ambiente doméstico e para homens cabe a vida pública, cargos políticos e a posição de decisão e poder, vivemos em uma sociedade patriarcal onde a liberdade se faz presente no universo masculino, segundo as convenções e padrões sociais, a menina deve ter comportamentos de menina, ou seja, delicadas, gentis, amáveis etc. Em contrapartida, o menino; de menino, o que lhe dá o direito de extrapolar em certas atitudes, de brincar de forma mais agressiva e de, muitas vezes, desrespeitar o sexo feminino, pois é criado como um ser superior.

Entre as características do desenvolvimento da criança, o gênero é o mais estereotipado precisamos desde da infância, pais e educadores, olhar para essas relações entre crianças, brincadeiras e brinquedos, pois vamos formar indivíduos para viverem em sociedade. As relações de gênero aprendidas na infância influenciam na convivência entre meninos e meninas/homens e mulheres. Nesse sentido, reforçar diante de meninos que eles são mais fortes em comparação às mulheres, por exemplo, cria uma relação de domínio do sexo masculino sobre o feminino e eis que temos os resultados de hoje, onde o feminicídio cresce em nosso país.

Portanto olharmos para as brincadeiras se torna fundamental pois as crianças assimilam as suas crenças, regras sociais, comportamentos e hábitos. É por meio de brincadeiras que crianças começam a assimilar a realidade, a construir estratégias sobre resolução de problemas cotidianos e a iniciar o processo de construção de suas autonomias para vida em sociedade. A criança não é um ser que nasce pronto, mas um indivíduo que constrói seu próprio conhecimento. Ao brincar, ela não sabe se está manuseando um brinquedo que é para meninas ou meninos, a menos que isso seja dito a ela por um adulto ou por outra criança que já possua em sua história a característica determinada.

Precisamos urgentemente reconhecer situações de machismo no nosso dia a dia, questionar, refletir e assim promover o acesso democrático de meninas e meninos aos brinquedos. Meninas também precisam conhecer um mundo de possibilidades, movimentos e força, assim como meninos precisam aprender a cuidar e sentir.

Para sugestões: [email protected]

Instagram: @isabelamanchini

Publicidade

Publicidade

Últimas colunas

Isabela Manchini
Isabela Manchini DIREITOS SEXUAIS E DIREITOS REPRODUTIVOS: ENTENDA COMO FUNCIONAM
DIREITOS SEXUAIS E DIREITOS REPRODUTIVOS: ENTENDA COMO FUNCIONAM
Maria Eugênia Pinheiro Sena da Silva
Maria Eugênia Pinheiro Sena da Silva 'BRINQUEDOS DE MENINA' E SEU PAPEL NA REPRODUÇÃO DE COMPORTAMENTOS
'BRINQUEDOS DE MENINA' E SEU PAPEL NA REPRODUÇÃO DE COMPORTAMENTOS
Jótha Marthyns
Jótha Marthyns Política e honestidade > Tudo a Ver <
Política e honestidade > Tudo a Ver <

Publicidade

Últimas colunas

Isabela Manchini
Isabela Manchini DIREITOS SEXUAIS E DIREITOS REPRODUTIVOS: ENTENDA COMO FUNCIONAM
DIREITOS SEXUAIS E DIREITOS REPRODUTIVOS: ENTENDA COMO FUNCIONAM
Maria Eugênia Pinheiro Sena da Silva
Maria Eugênia Pinheiro Sena da Silva 'BRINQUEDOS DE MENINA' E SEU PAPEL NA REPRODUÇÃO DE COMPORTAMENTOS
'BRINQUEDOS DE MENINA' E SEU PAPEL NA REPRODUÇÃO DE COMPORTAMENTOS
Jótha Marthyns
Jótha Marthyns Política e honestidade > Tudo a Ver <
Política e honestidade > Tudo a Ver <

Publicidade