Logo Portal Ternura
24/04 - IBITINGA-SP
° °
Jótha Marthyns

Jótha Marthyns


COMPORTAMENTO: Pessoas que não aceitam críticas


"Há aqueles cuja capacidade primária é girar rodas de manipulação. É a sua segunda pele e sem estas rodas giratórias, eles simplesmente não sabem como funcionar. "  – C. JoyBell C.

Vivemos cercados de seres humanos inábeis. Quase sempre em todas as situações respondem de forma áspera. Despejam “farpas de grosserias.”   Saber lidar com elas é fundamental para não se contaminar com energias negativas.

Usamos a palavra com imensa liberdade e, no entanto, sem nunca – ou raramente – pararmos para considerar exatamente o que é que queremos dizer com isso.

Algumas pessoas  em diálogos estão sempre prontas para o ataque — seja para responder uma pergunta, fazer um comentário ou dar uma opinião —, são grosseiras na sua forma de ser e se comunicar, dificilmente pensam antes de falar e acabam magoando familiares, colegas e amigos.

É difícil conviver ou depender de relacionamentos no estranho mundo dos comportamentos em ambiente familiar, profissional, em escolas, Universidades, serviços públicos,  com   pessoas inábeis seja de qualquer  sexo ,  idade ou classe social,  seja em qualquer escala do  grau do QI de cultura.

Se bem que franqueza quase sempre é  confundida e está associada ao mais alto nível de estupidez. Cuidado em querer ser pessoa franca.  
Em quase todas as situações de  diálogos  as falas  em tom de voz  carregadas de grosserias estupidas, agridem.  Essas pessoas, por certo acordam e dão o primeiro passo do dia com o pé esquerdo. Não agradecem ao Criador a permissão de  mais um dia de vida.

Analfabetos ou graduados  costumam criar problemas nos mais variados relacionamentos pessoais ou profissionais, exibindo-se sempre como pessoas sabias, filósofas e pensadoras. Disfarçam conhecer qualquer assunto a partir da criação do Mundo. Seus comentários sempre são inoportunos, a maioria “sem pé e nem cabeça”, atravessando  conversas  causam constrangimentos em quem participa. Procuram os holofotes.

Amigos e amigas. Não levem para o lado pessoal quando pessoas  se comportarem dessa forma. Certeza, elas talvez convivam   envoltas  de problemas e preocupações, a ponto de explodir em qualquer assunto.  Extravasam de seu interior os  medos,  angustias e ansiedades.  
Isso indica que, na base das arrogâncias transvestidas em ignorâncias  existe uma atitude infantil e um problema de auto-estima. É um comportamento típico de  pessoas sociopatas  manipuladoras.

Conscientes ou não,  quase sempre  esses seres espalham maldades.   Elas têm um poder incrível de fingir,  levantar a voz para terem razão. Quando questionadas sobre algum erro, não assumem,  explodem virando as costas  e dizem que “sou assim, jamais mudarei”.

Revestem-se de manipulação psicológica crônica em complexos e profundos estalos de   auto consciência suficiente. Pessoas com esses comportamentos diminuem seu rol de amizades. Certeza.

Assim como os sabe-tudo, em alguns momentos nós também tendemos a fechar os olhos para aquilo que não condiz com as nossas opiniões, e fazemos isso porque gostamos de validar nossos pensamentos, gostamos de estar certos, principalmente quando se trata de opiniões que sustentamos desde muito cedo.

Entretanto, abramos nossas antenas da percepção real mantendo em mente que, ainda que desejemos estar certos, precisamos estar abertos à novas opiniões e visões de mundo e, reconhecendo nossos erros e aproveitando todas as oportunidades de aprendizado e crescimento em sociedade que eles proporcionam.

Os sabe-tudo possuem um sério problema, nessa tentativa persistente de se mostrarem superiores, eles apenas mostram que sofrem de uma séria insegurança sobre si mesma. Tenha em mente que os sabe-tudo podem ser muito inseguros, o que pode ser um golpe para o ego deles.

No entanto, lidar com esse tipo de pessoas é, antes de tudo, um exercício de paciência no qual nossa inteligência emocional e nossas habilidades de comunicação entram em jogo.
 
É preciso conscientizar  pessoas para que  sejam mais racionais expressando e questionando  seus sentimentos, opiniões e desejos dentro de sua autoridade moral.  Não deixe que pessoa ignorante afete sua essência, por mais incômodo que seja seu comportamento.

Lembre-se desta regra: relacionando-se com pessoas de qualquer nível  e de sua roda social  em qualquer parte deste planetinha; “é preciso saber viver”. Para se relacionar positivamente com todos os tipos de pessoas, é necessário saber se relacionar com você mesmo.

Bom, lidar com pessoas grosseiras demais talvez não seja o forte de ninguém, pois ninguém gosta de ser tratado mal, não é mesmo? Seja no trabalho, na família ou no nosso convívio pessoal: saber lidar com pessoas grosseiras é sinônimo de sabedoria e de cultuar a paz.

Termino. Concluamos juntos.  Tudo o que fazemos custa tempo de vida. Seremos nós  aqui,  eu e você, mais  dois pensadores no universo das ideias? Não uma ilha

 

*Jótha Marthyns, 74 -  Jornalista,  editor MTB n.º 232/ SP, do Jornal A Tribuna, em Monte Alto/SP., Jornal A Tribuna Web Noticias. Colunista.  Youtuber.   Radialista,  apresentador do Jornal da Tarde na Rádio Cultura  AM. Palestrante, Publisher - Bacharel   em Direito/2012. Cavaleiro em Comenda outorgada pela Soberana Orden Militar y Hospitalaria de Caballeros y Damas Nobles de Andalucía del Infante  Don Fernando y Santa Eufemia. E-mail  [email protected]
 

Câmara Municipal de Ibitinga

Últimas colunas

Jótha Marthyns

Jótha Marthyns

Jornalista, vocação ou formação?

Jornalista, vocação ou formação?
José de Paiva Netto

José de Paiva Netto

Autismo e desafios da inclusão

Autismo e desafios da inclusão
Claudio Freitas

Claudio Freitas

A BUSCA..

A BUSCA..