Logo Portal Ternura
19/07 - IBITINGA-SP
° °
Jótha Marthyns

Jótha Marthyns


Sempre Fundamentais em garantia à adaptação social.


As exigências e as pressões do exterior no dia a dia  obrigam-nos a encarnar diferentes personagens. Sejam  tais como os colegas de profissão, esposos,    pai, filho, irmão, parentes,  amigos ou  amantes,  isso se traduz na tonalidade de voz, no tipo de discurso, na imagem e na expressão corporal que adotamos em diferentes contextos.

 

 “O coração tem razões que a própria razão desconhece”. Pascal (1623-1662), filósofo francês.

* Jótha Marthyns

Ao longo da história da humanidade, os avanços tecnológicos continuam eixos propulsores de mutações lavrando entre pessoas,  mudanças de pensamentos, atitudes, comportamentos morais e sociais. Quais as causas desses efeitos? A Razão ou a Emoção? Quem combate quem?

Exterminadores do futuro atenção. Alerto de que não tenho formação acadêmica em sociologia, psicologia, psiquiatria. Em Ciências Jurídicas, sim.  Esta manifestação longe de ser capítulo literário (até pode ser)  faz parte das minhas muitas  dúvidas existenciais e de  igual modo de alguns outros milhões de terráqueos que pensam nos meus patamares, em buscas de encontrar pequenas respostas que serão passos gigantes nesta, nossa, evolução como ser racional pensante.  São esses fatores que me influenciam a perseverar no dia seguinte.

“A minha alucinação É suportar o dia-a-dia E meu delírio É a experiência Com coisas reais.” -  (Belchior / Alucinação)

Essas inquietações me impulsionam  ousadamente em aventuras por trilhas de conhecimentos. Terei já passado pelo portal tempo  e ‘eu nasci há  mais de 10 mil anos atrás’?   Caminhos esses já percorridos desde os tempos da Suméria, Mesopotâmia,  por lideres de religiões,   alquimistas, filósofos.  O pouco que  até aqui alcancei ainda  permanece  parcial,  duvidosamente explicado e esclarecido.  (sic)

Contextualizem-se moradores desta ‘Cidade Sonho’.  Vivemos no século XXI. Monte Alto continua estabelecido no Brasil. Somos  paulistas da gema. Claro está, nós aqui ainda estamos juntos em continuas buscas de razões e emoções existencialistas.

Não é bem assim, a bem da verdade. Aqui entre urbanos e rurais,  cultua-se  entre nuances o “ter é ser (existir), o resto não interessa e “vamos que vamos, galera” desfilando aos sábados pela manhã pela rua central da cidade.   

Assim, de certa forma, continuamos  produzir  um grande teatro  de obras aventureiras, cômicas, alegres tristes,  trágicas, com personagens surrealistas,  envoltos em  enredos e  mascaras, agora virtuais e plugadas na Internet.  

Pausa para indagação.  E você conhece as suas máscaras? Qual delas você usa  quando passa na nossa  Rua Nhonhô Livramento e não atravessa de calçada, avista alguém de sua antipatia e ao cruzar ou parar para as triviais perguntas: olá, tudo bem? Você está sumido? Sabe quem morreu?

Pára. Recomendo. Se quiser aprofundar-se no assunto, (confecção e uso mascaras de comportamentos para relacionamento),  comece pela   Filosofia  pré socrática e alcance as passagens  contemporâneas e modernas.

Pessoal. Digo aqui com propriedade de conhecimentos da vivencia  experimentada por quase quatro décadas, dentro de uma comunidade  em região “caipira”, onde sempre seus personagens foram coligidos de “Jeca Tatu”.

Enganação.  Muitas as surpresas com as quais aqui me  deparei (falsidades, traições, rasteiras, perseguições, discriminações)  não as imaginava em tal grau de evolução dentro de reduto cercado de cana por todos os lados.  

Neste pedaço geográfico  tudo tem a ver com a história. Muitas vilas depois  pequenas cidades, tinham folclóricos  matadores de alugueis e bandoleiros. Já  alcançando  o século XX, inicio dos anos 80,  identificada por ser  “Região Californiana”, hoje codificada de  Região Metropolitana de Ribeirão Preto, ainda  vivia-se nas guardadas proporções e precauções, alguns aspectos de resquícios de coronelismo na politica e por parte maior da população  rejeição  explicita aos forasteiros que aqui resolveram passar ou  fixar moradia.

O status de poderes diferenciava classes de pessoas ocorrendo casos de racismos pelas décadas de 60 e 70.  Aqui em Monte Alto, ainda hoje se comenta segregacionismo no  Clube da Elite,  na Rua Jeremias, onde músicos afro descendentes integrantes  da banda municipal, não adentravam ali,  tocavam  fora. Isso eu não vi, nativos  me contaram.

 O mundo continuou  girando no espaço.   Hoje as 34 cidades da pomposa Região Metropolitana de Ribeirão Preto, tiveram ao longo dos passados 30 anos, explosão demográfica com brasileiros vindos do Norte e Nordeste principalmente.

Continuemos. Tem mais.  Nesta  biografia diária já com a razão e coração continuamos usar  máscaras conforme situações e  ambientes. Tal qual Camaleões nos ajustamos nas  cores do  meio.

Voltemos ao enfoque central.  Tudo é ou parece que não é.   Uma das provas dessa afirmação tem postulados Euclidianos alegando e provando que  paralelas se encontram no infinito.  Ora, pois, dirão? Quais serão algoritmos usados para tal conclusão? 

Sem aprofundar em  teoria de Nietzsche, na moral tradicional esboçada por Kant,  obvio e ululante, aqui, ali e acolá,  que a religião e a política continuam com   máscaras a esconder realidades inquietantes e ameaçadoras, cuja visão  é difícil de suportar.

Nesse contexto, a moral, seja ela kantiana ou hegeliana (e até a catharsis aristotélica) são caminhos mais fáceis de serem trilhados para se subtrair à plena visão autêntica, demonstradas em parâmetros da física quântica.

Tá bom assim? Corresponde as suas expectativas o até aqui comentado? Gostou?  Ah... Sugestão: assista FAHRENHEIT 451 e  questione suas atitudes e todo o sistema vigente que o rodeia.

Se vocês pensam que este resumão das mascaras está esgotado, aqui  elaborado por mim em relação com  outros pensantes do Planeta; enganam-se. Tem muito por vir. Certeza absoluta.  

* José Benedito Martins (Jótha Marthyns), 75 -  Jornalista,  editor MTB n.º 232/ SP, do Jornal A Tribuna, em Monte Alto/SP. e do Jornal A Tribuna Web Noticias. Repórter multimídia. Radialista. Influenciador digital. Idealizador, apresentador do Jornal da Tarde no Facebook. Colunista/Articulista no Portal Ternura FM / Ibitinga-SP. Publicitário. Palestrante - Bacharel em Direito/2012. Curso Superior de Tecnólogo de Polícia Ostensiva e Preservação da Ordem Pública I (Curso de Formação de Sargentos da PMESP); Cavaleiro em Comenda outorgada pela Soberana Orden Militar y Hospitalaria de Caballeros y Damas Nobles de Andalucía del Infante  Don Fernando y Santa Eufemia. - E-mail  [email protected]

Câmara Municipal de Ibitinga

Últimas colunas

José de Paiva Netto

José de Paiva Netto

Ecumenismo dos corações e Esperanto

Ecumenismo dos corações e Esperanto
Jótha Marthyns

Jótha Marthyns

O que há de errado com Darwin?

O que há de errado com Darwin?
Jótha Marthyns

Jótha Marthyns

Sempre Fundamentais em garantia à adaptação social.

Sempre Fundamentais em garantia à adaptação social.