EDUCAÇÃO DE QUALIDADE

Compartilhe:

Há um consenso desde os leigos até estudiosos e especialistas de que o investimento em educação de qualidade foi a principal razão para os países atingirem o patamar de desenvolvidos. Tanto que é batida a frase de que gasto com educação não é gasto, mas investimento.

A questão é que não há clareza do que seja uma educação de qualidade para qualquer das etapas, desde o ensino infantil, o fundamental e o médio. Não se define quais matérias os alunos devem dominar e o quê efetivamente se deve saber para cada uma dessas etapas.

Após essa definição do quê e quanto se deve aprender por etapa, seria preciso clarear, também, o elo entre essa aprendizagem e a melhoria socioeconômica das pessoas.

Certo é que não falta quantidade de órgãos e de entidades públicas – e até privadas - cuidando da educação. São 5570 municípios com secretarias municipais de educação, além de órgãos auxiliares, diretores, coordenadores... Além do Ministério da Educação e toda sua estrutura burocrática, bem como 26 secretarias estaduais e a distrital, também repletas de órgãos auxiliares.

A quantidade de pessoas que não sabem assinar o nome ou não sabem ler nem escrever demonstra que, na prática, o problema está muito longe de ser resolvido e não há um projeto nacional amplo para enfrentá-lo de fato. Existem muitas teorias, artigos acadêmicos e palpites.

Somente com ações, com a antiga regra de acertos e erros, poder-se-ia chegar a um resultado satisfatório. O Auxílio Brasil deveria ir além de apenas voltar a se chamar Bolsa Escola, e passar a exigir presença mínima e aprovação do aluno para continuar recebendo o benefício. É preciso haver contraprestação. Programas de incentivo à leitura nas escolas, com realização de feiras literárias, seminários, palestras com escritores e sobre épocas, estilos literários. E até criar premiações financeiras para os melhores trabalhos sobre literatura. Hoje, a maioria dos concluintes do ensino médio nunca leu nenhum livro. 

É necessário ficar claro a relação entre o aprendizado e os benefícios advindos da educação de qualidade. De quais conceitos teóricos o aluno fixa hábitos como escovar dentes corretamente; de como construir moradias seguras. Qual grau de conforto deve oferecer o transporte público. Quanto se toma de água para manter o organismo equilibrado. Enfim, aprender comportamentos sociais e porque deve cumprir com seus deveres de cidadãos, conhecendo de forma cristalina seus direitos.

Em síntese, cristalizar o que seria uma educação de qualidade e seus resultados efetivos e não apenas ficar nas teorias abstratas, como tem sido até hoje. Como está, seria equivalente a uma pessoa dar início a uma caminhada sem saber o destino certo.

 

Pedro Cardoso da Costa – Interlagos/SP

Bacharel em Direito

Publicidade

Últimas colunas

IVES GANDRA
IVES GANDRA POR QUE NÃO TE CALAS?
POR QUE NÃO TE CALAS?
IVES GANDRA
IVES GANDRA O risco da sujeição do Presidente do Banco Central ao presidente da República
O risco da sujeição do Presidente do Banco Central ao presidente da República
Jótha Marthyns
Jótha Marthyns MAIS UMA TRAGEDIA BRASILEIRA
MAIS UMA TRAGEDIA BRASILEIRA

Últimas colunas

IVES GANDRA
IVES GANDRA POR QUE NÃO TE CALAS?
POR QUE NÃO TE CALAS?
IVES GANDRA
IVES GANDRA O risco da sujeição do Presidente do Banco Central ao presidente da República
O risco da sujeição do Presidente do Banco Central ao presidente da República
Jótha Marthyns
Jótha Marthyns MAIS UMA TRAGEDIA BRASILEIRA
MAIS UMA TRAGEDIA BRASILEIRA

Publicidade