Logo Portal Ternura
29/03 - IBITINGA-SP
° °

CRIME: Homem vai a júri popular nesta quinta-feira, 26; Homicídio dentro de fazenda será julgado

Crime ocorreu em 2017. Juiz, réu, advogados e jurados se reúnem às 9h30, no salão do Júri no Fórum de Ibitinga.


O Fórum de Ibitinga realiza nesta quinta-feira, às 9h30, no salão do júri, o julgamento de um crime ocorrido em 2017. Membros da sociedade civil escalados pelo juiz responsável  decidirão sobre o caso envolvendo Izaias Gomes Correa, réu preso preventivamente desde 24 de julho daquele ano.

O indiciado é acusado de matar e ocultar o cadáver de Washignton Esteves de Jesus, na fazenda Água Quente em Ibitinga, em julho de 2017. Izaias trabalhava na propriedade onde ocorreu o crime.

O júri popular é convocado em casos específicos de crimes dolosos contra a vida. As varas criminais possuem uma lista de pessoas que podem participar do júri popular. De 25 nomes colocados em uma urna, 7 são escolhidos. Os jurados não julgam, mas determinam se houve crime e se o réu participou ou não da ação.

RELEMBRE O CASO

No dia 20 de julho de 2017, Washington Esteves de Jesus estava no intervalo do almoço de seu trabalho em uma fábrica de bordado que ficava nas imediações da fazenda. A vítima atravessou a rodovia e entrou na fazenda Água Quente para apanhar algumas laranjas. Segundo investigação da polícia, assim que Washington entrou, um outro homem estacionou o carro e pulou a mesma cerca.

Testemunhas alegaram à polícia que ouviram um estampido neste momento e a voz da vítima pedindo para não atirar. Ainda segundo depoimentos, uma outra voz ordenou que a vítima deitasse. Um outro barulho foi ouvido pelas testemunhas. Izaias saiu pela mesma cerca que entrou, entrou no carro e foi embora.

No dia 21 de janeiro deste ano o juiz do caso decretou julgamento pelo Tribunal do Júri a ser realizado nesta quinta-feira, dia 26 de setembro.  


Comentários (4)

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
criar um comentário

Generosa Ge - há 6 meses atrás

Estranho matar só por causa de laranjas conheço o Isaías ,tudo muito estranho.

Marcelo Barbosa - há 6 meses atrás

O certo é ele ser condenado a uns 200 anos, e dar só laranja pra ele nas refeições..

Lay Silva - há 6 meses atrás

Conheço ele mais do que ninguém nunca jamais faria algo de mal pra ninguém muito estranho ser só por causa de umas laranjas ,acho que todo mundo deveria parar um pouco de julgar e começar a olhar de fato pra situação e ao menos conhecer para poder falar algo. Se começar a colocar na mesa o que se passa na vida de cada um acredito todo mundo já errou de alguma forma e não será a primeira nem a única, mais devemos aprender com nossos erros e assim vai .

Lay Silva - há 6 meses atrás

O conheço e não faria mal nenhum alguma coisa tem pra isso ter acontecido

Ibitinga

mais notícias

Ibitinga contabiliza 13 casos suspeitos para coronavírus
há 44 minutos atrás

Ibitinga contabiliza 13 casos suspeitos para coronavírus

Ibitinga contabiliza 13 casos suspeitos para coronavírus
Prefeitura de Ibitinga entrega marmitas a pessoas em vulnerabilidade social
há 9 horas atrás

Prefeitura de Ibitinga entrega marmitas a pessoas em vulnerabilidade social

Prefeitura de Ibitinga entrega marmitas a pessoas em vulnerabilidade social
Em três meses, Prefeitura recolhe quase 5 mil toneladas de entulhos e inservíveis
há 10 horas atrás

Em três meses, Prefeitura recolhe quase 5 mil toneladas de entulhos e inservíveis

Em três meses, Prefeitura recolhe quase 5 mil toneladas de entulhos e inservíveis
Ibitinga contabiliza 13 casos suspeitos para coronavírus
há 21 horas atrás

Ibitinga contabiliza 13 casos suspeitos para coronavírus

Ibitinga contabiliza 13 casos suspeitos para coronavírus
Carreata em Ibitinga defende reabertura de comércio e divide opiniões; decreto prevalece até 7 de ab
há 1 dia atrás

Carreata em Ibitinga defende reabertura de comércio e divide opiniões; decreto prevalece até 7 de ab

Carreata em Ibitinga defende reabertura de comércio e divide opiniões; decreto prevalece até 7 de abril