Logo Portal Ternura
15/01 - IBITINGA-SP
° °

Advogado diz que João de Deus se sente injustiçado por seguir preso e está debilitado

Defesa do médium afirma que ele reagiu com tristeza à notícia do julgamento de seu habeas corpus ter sido suspenso. Ele foi denunciado por crimes sexuais e está preso há 26 dias em Aparecida de Goiânia.


 

 Foto de João de Deus no registro do sistema penitenciário, em Goiás — Foto: Reprodução/TV Anhanguera
Foto de João de Deus no registro do sistema penitenciário, em Goiás — Foto: Reprodução/TV Anhanguera

O advogado de João de Deus, preso há 26 dias acusado por crimes sexuais durante tratamentos espirituais, afirmou que o médium se sente injustiçado por continuar preso e está debilitado, em Aparecida de Goiânia, na Região Metropolitana da capital. Alberto Toron disse ao G1, nesta sexta-feira (11), que o cliente está um “farrapo humano”.

“Ele está debilitado. Reagiu à notícia com tristeza. Apoia-se na sua infinita fé e se sente injustiçado. Agora está andando com uma bengala improvisada, fala para dentro e muito baixo. Cabeça baixa, barba por fazer, cabelo despenteado. Um farrapo humano”, afirmou o advogado.

Alberto Toron disse que esteve com o médium na quinta-feira (10), após o julgamento do habeas corpus dele ter sido suspenso no Tribunal de Justiça de Goiás. Isso ocorreu porque um dos desembargadores pediu mais tempo para analisar o caso. João de Deus está preso no Núcleo de Custódia, em Aparecida de Goiânia, desde o último dia 16 de dezembro.

Entenda a situação de João de Deus:

 

  1. Ação na Justiça: João de Deus já virou réu após denúncia do Ministério Público por violação sexual e estupro de vulnerável (o processo cita 4 vítimas);
  2. Investigação: a Polícia Civil indiciou o médium por apenas um caso de violação sexual mediante fraude. O caso é mesmo já incluído na denúncia do MP. Agora, ele foi indiciado outra vez pelo mesmo crime;
  3. Investigação: a polícia também indiciou João de Deus por posse ilegal de armas. O MP deve analisar o caso e decidir se apresenta denúncia à Justiça.
 

 Advogado Alberto Toron durante julgamento de habeas corpus no TJ de Goiás — Foto: Patrícia Bringel/TV Anhanguera
Advogado Alberto Toron durante julgamento de habeas corpus no TJ de Goiás — Foto: Patrícia Bringel/TV Anhanguera

 

Julgamento do habeas corpus

 

A 1ª Câmara Criminal começou a julgar o habeas corpus de João de Deus na quinta-feira. O Ministério Público emitiu um parecer contrário ao habeas corpus. O relator do processo, Nicomedes Domingos Borges, acompanhou a posição do órgão e votou contra a liberdade do médium. Outros três desembargadores seguiram a mesma posição do relator.

Porém, o último desembargador, Sival Guerra Pires, pediu vistas do processo para que ele tivesse mais tempo para analisar o caso. Com isso, o julgamento fica suspenso por tempo indeterminado. Assim, o médium seguirá preso em Aparecida de Goiânia.

O advogado do médium, Alberto Toron, disse que sustenta dois argumentos para pedir o habeas corpus. "Primeiro é os fundamentos da prisão não a justificam. Não houve ameaça a vítimas, até porque elas não foram identificadas. E, em segundo lugar, não houve movimentação financeiras das contas", disse. Além disso, reforça que existem outras alternativas ao encarceramento, como a prisão domiciliar.

 

 Armas e dinheiro achados no quarto de João de Deus  — Foto: Murillo Velasco/G1
Armas e dinheiro achados no quarto de João de Deus — Foto: Murillo Velasco/G1

 

Segundo indiciamento

 

Também na quinta-feira, o médium também foi indiciado pelos crimes de posse ilegal de arma de fogo e outro abuso sexual. Além de João de Deus, a mulher dele, Ana Keyla Teixeira, também foi indiciada por posse de arma.

"A força-tarefa da Polícia Civil encerrou todos os seus procedimentos porque já foram indicados em dois [casos] por posse ilegal de arma tanto o João de Deus, como a esposa dele, Ana Keyla, uma vez que ambos moram nas mesmas residências, tanto de Abadiânia, como Anápolis. Nas duas cidades houve apreensão de armas de fogo", afirmou a delegada Karla Fernandes.

Agora, os inquéritos são enviados para o Poder Judiciário, que encaminha para análise do Ministério Público, que pode oferecer a denúncia, pedir o arquivamento ou solicitar novas diligências policiais. Se houver denúncia, a Justiça pode aceitá-la ou não. Aceitando, o denunciado vira réu e será condenado ou absolvido pela Justiça.

Sobre as armas, um dos advogados de João de Deus, Alex Neder, disse que o médium relatou em depoimento à polícia, na cadeia, que as armas eram de pessoas que queriam tentar se matar ou como “garantia” de empréstimos.

 

Situação atual

 

Confira fatos importantes do caso citados do mais recente para o mais antigo:

 

 

Fonte: G1


Comentários (0)

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
criar um comentário

Nacional e Internacional

mais notícias

Homem fica ferido após colisão entre dois caminhões na Rodovia Washington Luís em São Carlos
há 5 horas atrás

Homem fica ferido após colisão entre dois caminhões na Rodovia Washington Luís em São Carlos

Homem fica ferido após colisão entre dois caminhões na Rodovia Washington Luís em São Carlos
Mais de 62 milhões de brasileiros encerram 2018 com o nome sujo, diz SPC
há 5 horas atrás

Mais de 62 milhões de brasileiros encerram 2018 com o nome sujo, diz SPC

Mais de 62 milhões de brasileiros encerram 2018 com o nome sujo, diz SPC
Gestão de pessoas: para atrair talentos, setor precisa pensar na qualidade de vida dos funcionários
há 6 horas atrás

Gestão de pessoas: para atrair talentos, setor precisa pensar na qualidade de vida dos funcionários

Gestão de pessoas: para atrair talentos, setor precisa pensar na qualidade de vida dos funcionários
Jovem que fugiu da família narra 'vida de escrava' na Arábia Saudita
há 6 horas atrás

Jovem que fugiu da família narra 'vida de escrava' na Arábia Saudita

Jovem que fugiu da família narra 'vida de escrava' na Arábia Saudita
CÂNCER DE PULMÃO: Doença deve atingir mais de 31 mil pessoas em 2019
há 6 horas atrás

CÂNCER DE PULMÃO: Doença deve atingir mais de 31 mil pessoas em 2019

CÂNCER DE PULMÃO: Doença deve atingir mais de 31 mil pessoas em 2019