Logo Portal Ternura
21/02 - IBITINGA-SP
° °

Após quase 6 anos, STF julga ação para criminalizar a homofobia no Brasil

Na quarta-feira (13), a corte deve julgar uma ação protocolada pelo PPS em 2013 para criminalizar a violência contra LGBTs



LGBT: o processo tramita na Corte desde 2013 e será relatado pelo ministro Celso de Mello (Marko Djurica/Reuters/Reuters/Reuters)

 

O Supremo Tribunal Federal (STF) deve julgar quarta-feira (13) uma ação protocolada pelo PPS para criminalizar a homofobia, que é caracterizada pelo preconceito contra o público LGBT (lésbicas, gays, bissexuais, transexuais).

O processo tramita na Corte desde 2013 e será relatado pelo ministro Celso de Mello.

“Todas as formas de homofobia e transfobia devem ser punidas com o mesmo rigor aplicado atualmente pela Lei de Racismo, sob pena de hierarquização de opressões decorrente da punição mais severa de determinada opressão relativamente a outra”, sustenta a ação do partido.

Na sessão, os ministros devem definir se o Supremo pode criar regras temporárias para punir agressores do público LGBT, devido à demora da aprovação da matéria no Congresso Nacional.

Na Câmara dos Deputados tramita, desde 2001, um projeto de lei (PL 5003/2001) que dispõe sobre as sanções aplicáveis à conduta homofóbica.

Pelo atual ordenamento jurídico, a tipificação de crimes cabe ao Poder Legislativo, responsável pela criação das leis.

O crime de homofobia não está tipificado na legislação penal brasileira. Nos casos envolvendo agressões contra homossexuais, a conduta é tratada como lesão corporal, tentativa de homicídio ou ofensa moral.

No entendimento do partido, a minoria LGBT deve ser incluída no conceito de “raça social” e os agressores punidos na forma do crime de racismo.

“O heterossexismo social constitui uma ideologia racista e, portanto, a homofobia e a transfobia constituem-se ideologias/condutas tipicamente racistas por serem decorrências do racismo heterossexista”, argumenta o partido.

Levantamento recente, divulgado pelo Grupo Gay da Bahia (GGB), mostrou que em 2017 foi registrado o maior número de mortes relacionadas à homofobia desde que o monitoramento anual começou a ser feito pela entidade, há 38 anos.

Naquele ano, 445 lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais (LGBTs) foram mortos por homofobia.

 

Fonte: Exame


Comentários (0)

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
criar um comentário

Nacional e Internacional

mais notícias

Penélope Cruz e Javier Bardem reforçam química em atuação de “Todos Já Sabem”
há 2 horas atrás

Penélope Cruz e Javier Bardem reforçam química em atuação de “Todos Já Sabem”

Penélope Cruz e Javier Bardem reforçam química em atuação de “Todos Já Sabem”
'Sr. Sorvete' abre a sua 16ª loja em Brasília, Capital Federal
há 2 horas atrás

'Sr. Sorvete' abre a sua 16ª loja em Brasília, Capital Federal

'Sr. Sorvete' abre a sua 16ª loja em Brasília, Capital Federal
Celso de Mello vota para que homofobia seja equiparada ao crime de racismo
há 2 horas atrás

Celso de Mello vota para que homofobia seja equiparada ao crime de racismo

Celso de Mello vota para que homofobia seja equiparada ao crime de racismo
Entenda a reforma: Como fica a aposentadoria dos professores?
há 2 horas atrás

Entenda a reforma: Como fica a aposentadoria dos professores?

Entenda a reforma: Como fica a aposentadoria dos professores?
Maior felino das Américas, a onça-pintada está criticamente ameaçada de extinção na caatinga
há 2 horas atrás

Maior felino das Américas, a onça-pintada está criticamente ameaçada de extinção na caatinga

Maior felino das Américas, a onça-pintada está criticamente ameaçada de extinção na caatinga