Logo Portal Ternura
15/01 - IBITINGA-SP
° °

Expectativa é que inflação permaneça em torno da meta do governo até 2022, diz Ilan

Presidente do Banco Central comemorou que a inflação de 2018 tenha ficado abaixo da meta, segundo o IBGE.



O presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn — Foto: Beto Nociti/Banco Central
 

O presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, comemorou a inflação de 2018. Segundo dados divulgados nesta sexta-feira (11) pelo Instituto Brasileiro de Geogtafia e Estatística (IBGE), o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) fechou o ano em 3,75%.

A meta de inflação fixada pelo BC para o ano passado era de 4,5%, com intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual – ou seja, ficando entre 3% e 6%, a inflação seria considerada dentro da meta.

Goldfanj destacou que a expectativa do mercado é de que, pelo menos até 2022, a inflação permaneça em torno da meta do governo. Para 2019 e 2020, o centro da meta foi fixado em 4,25% e 4%, respectivamente; e para 2021, em 3,75%.

"As expectativas de inflação para os próximos anos encontram-se também em torno da meta. Expectativa para 2019, em torno de 4%; 2020, em torno de 4%; 2021, 3,75%; 2022, 3,75%. Tudo isso é a pesquisa Focus, não é a projeção do Banco Central", afirmou. O relatório Focus é resultado de levantamento feito com mais de 100 instituições financeiras.

(CORREÇÃO: ao ser publicada, esta reportagem errou ao informar que o presidente do BC destacara que a expectativa do mercado era de que a inflação permanecesse abaixo do centro da meta do governo. A reportagem foi corrigida às 17h45.)

“A confiança de que a política monetária será reajustada quando houver desvios relevantes é o que gera a expectativa de ancoragem [da inflação] em torno da meta”, enfatizou o presidente.

Goldfajn também defendeu a necessidade de avanço das reformas econômicas para garantir a estabilidade inflacionária no país.

“Sabemos que a continuidade de reformas e ajustes [econômicos] é essencial para manter a inflação controlada e a taxa de juros estável”, disse.

Ilan deixará o Banco Central, após ter recusado permanecer no cargo no governo de Jair Bolsonaro. Ele será substituído por Roberto Campos Neto, executivo do Banco Santander e próximo a Paulo Guedes, ministro da Economia.

BC lança livro com entrevistas

 
Coleção digital "História Contada do Banco Central" foi lançada nesta sexta no Rio — Foto: Daniel Silveira/G1
 

O Banco Central lançou nesta sexta, no Rio, a coleção digital "História Contada do Banco Central". A obra reúne entrevistas com 25 ex-presidentes e outras personalidades que fazem parte dos 54 anos de existência da instituição do país.

“Quem acessar esse conteúdo e acompanhar os depoimentos não só vai ter conhecimento sobre a história do banco, mas vai perceber que os relatos parecem atuais”, disse Goldfanj, o atual presidente do banco.

Goldfajn lembrou que a coleção digital “é fruto de um projeto que começou em 1989, quando o banco fez 25 anos”. Naquele aniversário, foram entrevistados alguns dos ex-presidentes, o que foi sendo mantido até que foi feita uma publicação com depoimentos para marcar os 50 anos da instituição.

O ex-presidente do BC Alexandre Tombini destacou que “essa coleção é muito importante para se saber quais desafios enfrenta o presidente máximo da autoridade monetária nacional”.

Além de narrar a história do Banco Central, os depoimentos reunidos na coleção também traçam um panorama da evolução pela qual passou a economia nacional e internacional nestas mais de cinco décadas.

O evento teve ainda três painéis mediados pela jornalista Cláudia Safatle. O primeiro, "Em Busca da Institucionalização", contou com a participação de Ernane Galvêas, Carlos Geraldo Langoni, Fernão Carlos Botelho Bracher, Fernando Milliet de Oliveira e Elmo Camões.

O segundo painel teve como tema "Hiperinflação, Proer, Dívida Externa, Planos de Estabilização". Os debatedores foram Wadico Bucchi, Pedro Malan, Persio Arida e Gustavo Loyola.

Fechando o evento, o painel "Plano Real e Regime de Metas para a Inflação" teve participação de Gustavo Franco, Francisco Lopes, Arminio Fraga e Henrique Meirelles.


Fonte: G1


Comentários (0)

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
criar um comentário

Nacional e Internacional

mais notícias

Homem fica ferido após colisão entre dois caminhões na Rodovia Washington Luís em São Carlos
há 6 horas atrás

Homem fica ferido após colisão entre dois caminhões na Rodovia Washington Luís em São Carlos

Homem fica ferido após colisão entre dois caminhões na Rodovia Washington Luís em São Carlos
Mais de 62 milhões de brasileiros encerram 2018 com o nome sujo, diz SPC
há 6 horas atrás

Mais de 62 milhões de brasileiros encerram 2018 com o nome sujo, diz SPC

Mais de 62 milhões de brasileiros encerram 2018 com o nome sujo, diz SPC
Gestão de pessoas: para atrair talentos, setor precisa pensar na qualidade de vida dos funcionários
há 6 horas atrás

Gestão de pessoas: para atrair talentos, setor precisa pensar na qualidade de vida dos funcionários

Gestão de pessoas: para atrair talentos, setor precisa pensar na qualidade de vida dos funcionários
Jovem que fugiu da família narra 'vida de escrava' na Arábia Saudita
há 6 horas atrás

Jovem que fugiu da família narra 'vida de escrava' na Arábia Saudita

Jovem que fugiu da família narra 'vida de escrava' na Arábia Saudita
CÂNCER DE PULMÃO: Doença deve atingir mais de 31 mil pessoas em 2019
há 7 horas atrás

CÂNCER DE PULMÃO: Doença deve atingir mais de 31 mil pessoas em 2019

CÂNCER DE PULMÃO: Doença deve atingir mais de 31 mil pessoas em 2019