Logo Portal Ternura
22/09 - IBITINGA-SP
° °

João de Deus deixa hospital para voltar a presídio após decisão do STJ

Acusado de abusos sexuais, ele ficou mais de dois meses internado em Goiânia para tratar aneurisma. João de Deus saiu da unidade em uma cadeira de rodas e teve de entrar no porta-malas do carro de escolta do sistema penitenciário.


Após decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ), João de Deus, de 77 anos, deixou o Instituto Neurológico de Goiânia na tarde desta quinta-feira (6) para voltar ao Núcleo de Custódia do Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia, na Região Metropolitana da capital. Vestido com roupa branca, ele saiu do hospital em uma cadeira de rodas e entrou no porta-malas de um carro do Sistema Prisional.

João de Deus é acusado de abusos sexuais, falsidade ideológica, posse ilegal de arma de fogo e corrupção de testemunhas. Ele sempre negou ter cometido os crimes.

transferência foi determinada pela Sexta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ), durante análise de dois habeas corpus impetrados pela defesa. João de Deus ficou internado mais de dois meses para tratar um aneurisma no abdômen.

João de Deus volta para presídio de Aparecida de Goiânia, Goiás — Foto: Reprodução/ TV Anhanguera
João de Deus volta para presídio de Aparecida de Goiânia, Goiás — Foto: Reprodução/ TV Anhanguera

 

João de Deus foi preso no dia 16 de dezembro de 2018. No dia 22 de março deste ano, a Justiça autorizou que ele fosse transferido para o hospital, atendendo a pedido da defesa, que alegava risco à vida do cliente em razão do seu estado de saúde. Inicialmente, o prazo era de 30 dias, mas foi prorrogado duas vezes pelo ministro Nefi Cordeiro, do STJ.

No início desta tarde, a juíza Rosângela Rodrigues, da Comarca de Abadiânia, assinou o despacho e encaminhou cópia do acórdão ao Núcleo de Custódia - onde João de Deus seguirá preso. Logo depois, a escolta do Sistema Prisional buscou o preso.

Escolta do Sistema Prisional de Goiás busca João de Deus em hospital de Goiânia — Foto: Vitor Santana/ G1
Escolta do Sistema Prisional de Goiás busca João de Deus em hospital de Goiânia — Foto: Vitor Santana/ G1

 

Defesa e home care

 

A defesa de João de Deus disse que vai recorrer da decisão do STJ no Supremo Tribunal Federal (STF). Os advogados afirmam que o cliente não apresenta riscos à investigação e que, apesar de estar melhorando, ainda necessita de cuidados médicos.

A assessoria de imprensa do Instituto de Neurologia de Goiânia informou, por meio de nota, que o paciente poderia receber alta, masprecisa de home care – cuidados em casa - e que “a oferta ou não deste serviço deve ser definida pela Justiça e pela Diretoria-Geral de Administração Penitenciária de Goiás”.

O médico Alberto Las Casas, um dos responsáveis pelo tratamento de João de Deus, criticou a decisão de encaminhar o paciente novamente ao presídio em razão da idade dele. “Ele tem condição de ir para casa. Voltar para o presídio, um homem de 80 anos [João de Deus tem, na verdade, 77]... Cada um assume o risco né”, afirmou.

João de Deus deixa hospital em Goiânia em cadeira de rodas — Foto: Rodrigo Gonçalves/ G1
João de Deus deixa hospital em Goiânia em cadeira de rodas — Foto: Rodrigo Gonçalves/ G1

 

Andamentos das denúncias

 

O Ministério Público denunciou o médium dez vezes, das quais duas ainda não foram analisadas pela Justiça. Ele é réu nas outras oito, que foram aceitas. Elas são:

 

  • Quatro por crimes sexuais: duas já tiveram audiência realizada e outras duas estão com audiência marcada;
  • Uma por crimes sexuais, corrupção de testemunha e coação: ainda não teve audiência;
  • Uma por crimes sexuais e falsidade ideológica: atualmente está em fase de citação (comunicação ao réu);
  • Duas por posse ilegal de armas de fogo e munição. Uma de já teve audiência realizada. O TJ não deu detalhes sobre o outro caso.

 

Ação de indenização

 

Além dos oito processos criminais, o Ministério Público Estadual entrou com uma ação civil pública pedindo indenização no valor de R$ 20 milhões por danos morais e coletivos de todas as vítimas dos abusos. O dinheiro será usado em projetos de prevenção à violência sexual contra mulheres.

Os promotores já receberam 680 contatos de mulheres que se dizem vítimas. Destas, 160 já prestaram depoimento de maneira formal.

 

Fonte: G1


Comentários (0)

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
criar um comentário

Nacional e Internacional

mais notícias

Startup Amplimed fornece telemedicina  com prontuário eletrônico para o Sistema Unimed SP
há 16 minutos atrás

Startup Amplimed fornece telemedicina com prontuário eletrônico para o Sistema Unimed SP

Startup Amplimed fornece telemedicina com prontuário eletrônico para o Sistema Unimed SP
Pesquisa diz que rio Tietê tem 150 km de água imprópria para uso
há 26 minutos atrás

Pesquisa diz que rio Tietê tem 150 km de água imprópria para uso

Pesquisa diz que rio Tietê tem 150 km de água imprópria para uso
Jovem é suspeita de matar namorado com agulha de narguilé durante discussão por pastel de feira, diz
há 28 minutos atrás

Jovem é suspeita de matar namorado com agulha de narguilé durante discussão por pastel de feira, diz

Jovem é suspeita de matar namorado com agulha de narguilé durante discussão por pastel de feira, diz polícia
Poluição causada por ônibus cai mais de 50% durante a pandemia em SP
há 45 minutos atrás

Poluição causada por ônibus cai mais de 50% durante a pandemia em SP

Poluição causada por ônibus cai mais de 50% durante a pandemia em SP
Caixa paga auxílio residual para beneficiários do Bolsa Família
há 49 minutos atrás

Caixa paga auxílio residual para beneficiários do Bolsa Família

Caixa paga auxílio residual para beneficiários do Bolsa Família