Logo Portal Ternura
21/09 - IBITINGA-SP
° °

Manifestantes fazem novo protesto em Hong Kong

Polícia usou gás lacrimogêneo. Ato acontece após ataque que deixou dezenas de pessoas feridas em estação de metrô na última semana.


Polícia joga gás lacrimogêneo contra milhares de manifestantes — Foto: Reuters/Edgar Su
Polícia joga gás lacrimogêneo contra milhares de manifestantes — Foto: Reuters/Edgar Su

 

A polícia usou gás lacrimogêneo contra milhares de manifestantes que protestam neste sábado (27) em Yuen Long, em Hong Kong. O ato acontece após o ataque que deixou dezenas de pessoas feridas na estação de metrô de Yuen Long na última semana. Segundo a CNN, grupos de manifestantes jogaram objetos, como garrafas de água, contra os polícias.

A marcha acontece desafiando a proibição da polícia, que havia alegado motivos de segurança para impedir o ato. Os ativistas, porém, insistiram e se reuniram em calor sufocante.

Mais cedo, moradores disseram à Reuters que havia uma presença policial crescente no local. Ativistas temiam que o protesto se tornasse violento. "Eu quero expressar minha insatisfação com a polícia. O que aconteceu na semana passada foi totalmente inaceitável", disse Cico Lau, 25 anos, à Reuters. O jovem cresceu em Yuen Long e contou que o irmão foi espancado no domingo passado, apesar de não usar preto.

Manifestantes em Yuen Long — Foto:  Reuters/Edgar Su
Manifestantes em Yuen Long — Foto: Reuters/Edgar Su

 

Na sexta-feira (26), centenas de manifestantes já haviam realizado um ato na sala de desembarque do aeroporto de Hong Kong. O objetivo do ato era mostrar aos visitantes o que motiva multidões a protestarem na região semiautônoma.

 

Onda de protestos

 

A onda de protestos começou em 9 de junho em reação a um projeto de lei do governo que autorizava pessoas acusadas de crimes em Hong Kong a serem extraditadas para a China continental.

A uma medida foi vista com preocupação por diversos grupos, que a identificavam como uma potencial ameaça para as liberdades dos moradores da ilha.

Face à forte oposição, o governo suspendeu o projeto, mas a decisão não acalmou os manifestantes. O movimento se ampliou e passou a defender reformas democráticas, sufrágio universal e um freio para cortar liberdade civil no território semiautônomo.

Os manifestantes também querem a renúncia da chefe do Executivo de Hong Kong, Carrie Lam, a retirada definitiva do projeto de lei de extradições, uma investigação independente sobre a violência policial e a anistia das pessoas presas.

 

Fonte: G1


Comentários (0)

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
criar um comentário

Nacional e Internacional

mais notícias

Facebook suspende milhares de aplicativos em investigação sobre uso de dados
há 8 horas atrás

Facebook suspende milhares de aplicativos em investigação sobre uso de dados

Facebook suspende milhares de aplicativos em investigação sobre uso de dados
B2W Digital oferece mais de 1 mil vagas de trabalho em Itapevi
há 8 horas atrás

B2W Digital oferece mais de 1 mil vagas de trabalho em Itapevi

B2W Digital oferece mais de 1 mil vagas de trabalho em Itapevi
Mega-Sena pode pagar prêmio de R$ 38 milhões neste sábado
há 8 horas atrás

Mega-Sena pode pagar prêmio de R$ 38 milhões neste sábado

Mega-Sena pode pagar prêmio de R$ 38 milhões neste sábado
Bolsonaro prorroga por mais 30 dias uso de militares no combate a queimadas na Amazônia
há 8 horas atrás

Bolsonaro prorroga por mais 30 dias uso de militares no combate a queimadas na Amazônia

Bolsonaro prorroga por mais 30 dias uso de militares no combate a queimadas na Amazônia
Entenda o que muda com a lei da liberdade econômica
há 8 horas atrás

Entenda o que muda com a lei da liberdade econômica

Entenda o que muda com a lei da liberdade econômica