Logo Portal Ternura
24/10 - IBITINGA-SP
° °

Moro ministro e “50 tons de Temer”: debate na Band é marcado por ironias e trocadilhos entre candidatos



Candidatos à Presidência Álvaro Dias (Podemos), Cabo Daciolo (Patriota), Geraldo Alckmin (PSDB), Marina Silva (Rede), Jair Bolsonaro (PSL), Guilherme Boulos (PSOL), Henrique Meirelles (MDB) e Ciro Gomes (PDT)  (Moreira Mariz/Agência Senado/Zeca Ribeiro / Câmara dos Deputados/Marcos Oliveira/Agência Senado/Paulo Vitale/VEJA/Cristiano Mariz/VEJA/Nelson Almeida/AFP/Paulo Whitaker/Reuters/Mário Miranda/Amcham/Divulgação)

 

No primeiro debate com os candidatos à presidência da República, na TV Band, oito presidenciáveis discutiram temas polêmicos, mas abusaram de ironias e trocadilhos. Entre os temas mais abordados, esteve o aumento de impostos para a população mais rica, o combate à corrupção e os investimentos em áreas como saúde e educação.

Ao falarem sobre o sistema tributário, os concorrentes ao Planalto concordaram que o aumento de arrecadação deve vir, em boa parte, de impostos sobre propriedades e baseados na renda dos brasileiros.

A corrupção, um dos maiores problemas sociais, também foi discutida. O candidato do Podemos, senador Álvaro Dias, declarou que a Operação Lava Jato é prioridade para retirar facções criminosas de circulação.

Caso seja eleito, Dias disse que vai nomear o juiz federal Sérgio Moro para ser ministro da Justiça. O candidato ressaltou, também, que o sistema de governo brasileiro precisa ser refeito.

“Nós queremos institucionalizar a Operação Lava Jato como uma espécie de nossa Tropa de Elite no combate à corrupção. Cabo eleitoral dos investimentos, da geração de emprego porque, certamente, nós enviaremos ao mundo outra imagem. O Brasil voltará a ser sério e os investimentos que foram expulsos daqui pela corrupção e pela incompetência retornarão”.

Marina Silva, da Rede, afirmou que as alianças partidárias feitas desde governos anteriores pensam apenas em tempo de televisão e permanência no poder. Assim, segundo ela, não há cumprimento das promessas feitas durante as campanhas.

Ela reafirmou que é contra o teto de gastos que, na em sua visão, impede investimento público em serviços básicos.

“Nós temos um problema que faz com que o nosso país tenha feito uma medida que congela os investimentos públicos na área de saúde, educação, segurança pública, infraestrutura por 20 anos. Ou seja, significa que a saúde como está, a segurança como está, vai ficar congelada”.

Guilherme Boulos utilizou a frase “50 tons de Temer” para caracterizar as propostas de todos os candidatos que participaram do debate e diferenciá-lo dizendo que tem “um novo projeto de política”. Ele disse, ainda, que a questão do aborto é tema que envolve o Sistema Único de Saúde (SUS).

“Nós vamos colocar outras políticas para as mulheres, como creche em tempo integral para as mães que trabalham e estudam, atendimento especial no SUS para as mulheres, vamos ter políticas que assegurem igualdade salarial. Ao contrário do que já foi dito aqui (pelo Jair Bolsonaro), o governo pode e deve garantir que as mulheres ganhem os mesmos salários”.

Até então desconhecido pela maioria dos eleitores, o candidato do Patriota, Cabo Daciolo, disse que a violência contra a mulher ocorre por falta de "amor ao próximo". Ao ser questionado sobre a greve dos caminhoneiros, Daciolo respondeu que o problema da categoria não foi resolvido, e que, se eleito, diminuiria pela metade o valor do combustível. Nos últimos minutos de discurso, o candidato leu um versículo bíblico e repetiu várias vezes a frase "em nome do Senhor Jesus".

“É claro que automaticamente eu abaixo o combustível em 50% porque nós temos 18 refinarias. Eu vou investir nas refinarias e nós vamos transformar o petróleo bruto em diesel, gasolina, gás, e vamos oxigenar o nosso país e empregar”.

Os presidenciáveis Henrique Meirelles, Ciro Gomes, Jair Bolsonaro e Geraldo Alckmin também participaram do debate. No quinto e último bloco, os candidatos tiveram um minuto e meio para considerações finais. Os concorrentes ao Planalto voltam a se encontrar na televisão para novo debate no dia 17 de agosto, às dez horas da noite, na RedeTV.

 

Reportagem, Clara Sasse para o Portal Ternura
Agencia do Rádio Brasileiro de Notícias


Comentários (0)

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
criar um comentário

Nacional e Internacional

mais notícias

Pane em escada rolante de metrô de Roma deixa feridos
há 8 horas atrás

Pane em escada rolante de metrô de Roma deixa feridos

Pane em escada rolante de metrô de Roma deixa feridos
Dodge diz que é importante cultivar respeito às instituições brasileiras e pede 'espírito de tempera
há 9 horas atrás

Dodge diz que é importante cultivar respeito às instituições brasileiras e pede 'espírito de tempera

Dodge diz que é importante cultivar respeito às instituições brasileiras e pede 'espírito de temperança' nas eleições
Navio grego de 2,4 mil anos é encontrado preservado no fundo do mar
há 9 horas atrás

Navio grego de 2,4 mil anos é encontrado preservado no fundo do mar

Navio grego de 2,4 mil anos é encontrado preservado no fundo do mar
EUA mantêm mais de 500 crianças imigrantes em barracas há meses no Texas, dizem ativistas
há 9 horas atrás

EUA mantêm mais de 500 crianças imigrantes em barracas há meses no Texas, dizem ativistas

EUA mantêm mais de 500 crianças imigrantes em barracas há meses no Texas, dizem ativistas
Interpol apreende 500 toneladas de remédios ilegais em 116 países
há 10 horas atrás

Interpol apreende 500 toneladas de remédios ilegais em 116 países

Interpol apreende 500 toneladas de remédios ilegais em 116 países