Projeto da dona do Google acompanhará 10 mil pessoas para antecipar diagnóstico de doenças

Estudo 'Project Baseline', feito com as universidades de Duke e Stanford, quer estabelecer 'mapa da saúde humana'.


A Verily, companhia especializada em saúde da Alphabet, empresa-mãe do Google, propôs acompanhar 10 mil pessoas alguns anos para detectar sinais que possam antecipar o surgimento de doenças. A iniciativa faz parte de um projeto apresentado na quarta-feira (19).

O estudo, denominado "Project Baseline" e realizado em colaboração com as universidades de Duke e Stanford, aspira a estabelecer "um mapa da saúde humana" através da identificação de uma ampla gama de dados médicos, de comportamento e genéticos.

Para isso, os participantes usarão diariamente um dispositivo conectado no pulso e outros sensores. O acompanhamento será feito também através de visitas regulares a uma clínica e de questionários e pesquisas interativas via smartphones ou computadores.

A Verily afirma em seu comunicado que recolherá amostras biológicas (sangue, saliva) e dados clínicos, físicos, ambientais, moleculares e genéticos, imagens médicas, assim como informações proporcionadas pelos próprios participantes.

A empresa quer estabelecer, assim, uma base de dados de referência "que possa ser utilizada para compreender melhor a transição entre a boa saúde e a doença, e identificar os fatores de risco adicionais".

O projeto espera registrar os marcadores biológicos preditivos, que apontam que uma doença cardiovascular ou um câncer estão se desenvolvendo.

A seleção de participantes, que serão acompanhados durante ao menos quatro anos, começará nos próximos meses.

A informação compilada será guardada na plataforma de armazenamento de dados on-line, conhecida como a "nuvem", do Google, e a Verily aspira no futuro a colocar essas bases de dados anônimos à disposição dos pesquisadores.

A Verily (antiga Google Life Science) foi lançada oficialmente como uma empresa independente em 2015, e faz parte das grandes apostas para o futuro que foram separadas da atividade principal do Google e agora dependem diretamente do holding do grupo, Alphabet.

 

Fonte: G1


Comentários (0)

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
criar um comentário

Nacional e Internacional

mais notícias

Cientistas desvendam por que leite materno tem moléculas de açúcar que bebês não digerem
há 2 horas atrás

Cientistas desvendam por que leite materno tem moléculas de açúcar que bebês não digerem

Cientistas desvendam por que leite materno tem moléculas de açúcar que bebês não digerem
Preso há 4 dias por estupro, homem é solto após menina confessar ter mentido à polícia no AM
há 3 horas atrás

Preso há 4 dias por estupro, homem é solto após menina confessar ter mentido à polícia no AM

Preso há 4 dias por estupro, homem é solto após menina confessar ter mentido à polícia no AM
Inadimplência no cartão cresce mesmo após nova regra do rotativo
há 3 horas atrás

Inadimplência no cartão cresce mesmo após nova regra do rotativo

Inadimplência no cartão cresce mesmo após nova regra do rotativo
Maluf diz que Janot fez 'terrorismo' e defende Temer: 'todos pediram recursos'
há 3 horas atrás

Maluf diz que Janot fez 'terrorismo' e defende Temer: 'todos pediram recursos'

Maluf diz que Janot fez 'terrorismo' e defende Temer: 'todos pediram recursos'
Incêndio em parque estadual de MS consumiu cerca de 20 mil hectares, estimam bombeiros
há 3 horas atrás

Incêndio em parque estadual de MS consumiu cerca de 20 mil hectares, estimam bombeiros

Incêndio em parque estadual de MS consumiu cerca de 20 mil hectares, estimam bombeiros