Logo Portal Ternura
20/04 - IBITINGA-SP
° °

UE aprova regras de direitos autorais mirando Google e Facebook

Sob as novas regras, o Google e outras plataformas online terão que assinar contratos de licenciamento


Apps-Facebook-
Facebook: ao lado do Google, a rede social é uma das mais afetadas pela mudança na legislação (Reprodução/Getty Images)

 

Bruxelas — O Google terá que pagar a editores por trechos de notícias e o Facebook terá que filtrar conteúdo protegido sob novas regras de direitos autorais destinadas a garantir uma compensação justa de 1 trilhão de dólares para as indústrias criativas da União Europeia.

Nesta segunda-feira (15), os governos da UE apoiaram a iniciativa lançada pela Comissão Europeia há dois anos para proteger as indústrias criativas da Europa, que empregam 11,7 milhões de pessoas do bloco.

“Quando se trata de completar o mercado único digital da Europa, a reforma dos direitos autorais é a peça que faltava no quebra-cabeça”, disse o presidente da Comissão, Jean-Claude Juncker, em um comunicado.

Sob as novas regras, o Google e outras plataformas online terão que assinar contratos de licenciamento com músicos, artistas, autores, editores de notícias e jornalistas para usar seu trabalho.

O Parlamento Europeu deu um sinal verde no mês passado para uma proposta que colocou a indústria criativa da Europa contra empresas de tecnologia, ativistas da internet e grupos de consumidores.

A Wikipedia apagou vários sites europeus em protesto no mês passado, enquanto a mudança foi contestada pela Finlândia, Itália, Luxemburgo, Holanda, Polônia e Suécia.

Mas 19 países, incluindo França e Alemanha, endossaram a revisão, enquanto a Bélgica, a Estônia e a Eslovênia se abstiveram.

Sob o novo regime de propriedade, o YouTube, do Google, o Instagram, do Facebook, e outras plataformas de compartilhamento terão que instalar filtros para impedir que os usuários façam ‘upload’ de materiais protegidos por direitos autorais.

O Google disse que as novas regras prejudicariam as economias criativa e digital da Europa, enquanto os críticos disseram que isso afetaria as empresas menores que não possuíam caixa e não os gigantes da tecnologia.

A Polônia disse que a revisão foi um passo para trás, já que a exigência do filtro pode lançar as bases para a censura.

Julia Reda, parlamentar da UE que havia feito campanha contra as reformas, disse que os críticos podem levar o caso à Justiça, mas isso seria lento e difícil, e que o melhor seria monitorar a implementação justa.

A European Magazine Media Association, a Associação Europeia de Editores de Jornais, o Conselho Europeu de Editoras, a News Media Europe e o grupo de lobby de gravadoras independentes Impala saudaram a decisão.

Os países da UE têm dois anos para transpor a diretiva de direitos autorais para as leis nacionais.

 

Fonte: Exame


Comentários (0)

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
criar um comentário

Nacional e Internacional

mais notícias

Empreendedores de doces apostam em aumento de vendas para a Páscoa
há 13 horas atrás

Empreendedores de doces apostam em aumento de vendas para a Páscoa

Empreendedores de doces apostam em aumento de vendas para a Páscoa
Médicos querem pedir que Justiça prorrogue internação de João de Deus
há 13 horas atrás

Médicos querem pedir que Justiça prorrogue internação de João de Deus

Médicos querem pedir que Justiça prorrogue internação de João de Deus
Pessoas que rejeitam homossexuais “não têm coração humano”, diz Papa
há 13 horas atrás

Pessoas que rejeitam homossexuais “não têm coração humano”, diz Papa

Pessoas que rejeitam homossexuais “não têm coração humano”, diz Papa
Guaidó convoca marcha contra Maduro em 1º de maio na Venezuela
há 13 horas atrás

Guaidó convoca marcha contra Maduro em 1º de maio na Venezuela

Guaidó convoca marcha contra Maduro em 1º de maio na Venezuela
Pediatras pedem fim da obrigatoriedade do Teste da Linguinha
há 13 horas atrás

Pediatras pedem fim da obrigatoriedade do Teste da Linguinha

Pediatras pedem fim da obrigatoriedade do Teste da Linguinha