Logo Portal Ternura
30/03 - IBITINGA-SP
° °

Varejo será mais um indicador a limitar o otimismo sobre 2019?

Dados decepcionantes do final do ano passado vêm contendo otimismo sobre economia.



Varejo: expectativa de crescimento nulo em dezembro (Valter Campanato/Arquivo/Agência Brasil).
 

Novas pistas sobre o desempenho da economia brasileira no fim do ano passado devem ser conhecidas ao longo desta semana.

Nesta quarta-feira, 12, será a vez do varejo. O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulga às 9 horas o desempenho do setor de comércio varejista no mês de dezembro e no acumulado de 2019.

A expectativa é por um novo balde de água fria. As projeções do Instituto Brasileiro de Economia, da Fundação Getúlio Vargas (FGV-Ibre), é que os dados de dezembro sobre novembro mostrem estabilidade (0,0%) no varejo restrito e queda de -0,5% no varejo ampliado (com ajuste sazonal).

“Um destaque do resultado do varejo restrito em dezembro deve ser a queda nas vendas nos supermercados. Já o ampliado deve sofrer o impacto positivo da alta na venda de automóveis”, destacou o instituto em nota.

Na comparação de dezembro com o mesmo mês de 2018, o resultado fica mais positivo, com alta de 2,9% no varejo restrito e 4,7% no ampliado. No acumulado em 2019, as projeções são de 1,8% no varejo restrito e 3,9% no ampliado.

Os dados de dezembro vêm após vários indícios de que o final de ano foi mais fraco do que previsto, apontando para um PIB de 2020 mais perto de crescer 2% do que 3%. O crescimento do varejo em novembro já havia frustrado as expectativas.

A expectativa do mercado era encontrar uma alta acima de 1%, mas o crescimento naquele mês veio em metade disso, somente 0,5%. O mês de novembro é marcado pela Black Friday, que, no ano passado, movimentou mais de 3 bilhões de reais somente no comércio eletrônico. Enquanto isso, a expectativa em dezembro é aumentar as vendas frente às compras de Natal.

Embora abaixo da previsão, o crescimento de novembro foi a sétima alta consecutiva do indicador. As leves altas, segundo avaliaram analistas ouvidos por EXAME na ocasião, reforçam a tendência de crescimento constante, mas fraco, na economia brasileira.

Na semana passada, o dado de produção da indústria também veio abaixo das expectativas e mostrou o setor fechando 2019 no vermelho pela primeira vez em dois anos.

Novos indicadores devem ser publicados ainda no restante da semana. Na quinta-feira, 13, o IBGE também divulga o resultado da atividade de serviços. Já na sexta-feira, 14, sai o IBC-Br do ano de 2019, considerado como uma prévia do Produto Interno Bruto (PIB). Mas o PIB oficial do ano fechado, divulgado pelo IBGE, só no dia 4 de março.

 

Fonte: Exame


Comentários (0)

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
criar um comentário

Nacional e Internacional

mais notícias

Coronavírus é usado para espalhar golpes pelo WhatsApp
há 8 horas atrás

Coronavírus é usado para espalhar golpes pelo WhatsApp

Coronavírus é usado para espalhar golpes pelo WhatsApp
Com covid-19, médico Raul Cutait está internado em estado grave
há 10 horas atrás

Com covid-19, médico Raul Cutait está internado em estado grave

Com covid-19, médico Raul Cutait está internado em estado grave
Coopercitrus atinge faturamento de R$ 4,8 bilhões em 2019
há 10 horas atrás

Coopercitrus atinge faturamento de R$ 4,8 bilhões em 2019

Coopercitrus atinge faturamento de R$ 4,8 bilhões em 2019
China diz ter menos de 2,5 mil casos ativos de pessoas com coronavírus
há 10 horas atrás

China diz ter menos de 2,5 mil casos ativos de pessoas com coronavírus

China diz ter menos de 2,5 mil casos ativos de pessoas com coronavírus
Coronavírus: por que suplementos e vitaminas não são solução?
há 10 horas atrás

Coronavírus: por que suplementos e vitaminas não são solução?

Coronavírus: por que suplementos e vitaminas não são solução?