Logo Portal Ternura
16/06 - IBITINGA-SP
° °

Vereador de São Carlos deve tirar vídeo da internet e pagar R$ 10 mil por ofensas a servidor do Saae

Condenação foi dada pelo Tribunal de Justiça de São Paulo. Leandro Guerreiro (PSB) disse que ainda não foi notificado, mas não se opõe a retirar imagens de suas redes sociais.


Vereador Leandro Guerreiro (PSB) de São Carlos — Foto: A CidadeON/SãoCarlos
Vereador Leandro Guerreiro (PSB) de São Carlos — Foto: A CidadeON/SãoCarlos

 

O vereador Leandro Augusto do Amaral, o Leandro Guerreiro (PSB), foi condenado a pagar R$ 10 mil de indenização por danos morais e a retirar um vídeo da sua página do Facebook no qual faz ofensas ao servidor do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae), Claudio Roberto Lopes Macedo. Caso não cumpra a decisão ele deverá pagar multa diária de R$ 200 até o limite de R$ 8 mil.

A sentença foi dada Tribunal de Justiça (TJ-SP), após o servidor recorrer em 2ª instância após ter decisão desfavorável na 2ª Vara Cível de São Carlos. A certidão da decisão foi expedida nesta segunda-feira (20).

O vereador disse que ainda não foi notificado à respeito da decisão, mas não se opõe a retirar o vídeo de sua página. Sobre a indenização ele disse que irá consultar o seu advogado.

 

Tribuna da Câmara

 

Segundo informações do processo, em agosto de 2017, o servidor foi até a Câmara Municipal entregar ao presidente da Casa um abaixo-assinado elaborado pelos servidores do Saae, após o parlamentar ter criticado as remunerações dos servidores da autarquia em um programa de rádio.

Como havia sessão da Câmara no mesmo dia, o vereador usou o seu espaço na Tribuna para expor o servidor, dizendo que ele estava usando o horário de trabalho para ir questioná-lo e que ele era "politiqueiro", "vagabundo" e "sem-vergonha".

Depois o vereador publicou o vídeo de seu discurso no Facebook. As imagens mostram o vereador na Tribuna da Câmara falando contra a atitude do servidor.

Vereador publicou seu discurso contra servidor na sua página do Facebook — Foto: Reprodução
Vereador publicou seu discurso contra servidor na sua página do Facebook — Foto: Reprodução

 

“Politiqueiro sem-vergonha. Picou o cartão meio-dia e veio aqui tirar satisfação com vereador nessa Casa. É para você estar trabalhando”, disse.

Em determinado momento do discurso, o vereador pede para que o cinegrafista que gravava a sessão para o site da Câmara filme o servidor.

“É isso que você é seu Claudio, politiqueiro malandro, e hoje se comporta desgraçadamente, abandoando o seu local de trabalho para encher o saco de vereador”, afirmou.

 

Decisão

 

Participaram do julgamento os desembargadores Luis Mario Galbetti, relator do caso, Mary Grün e Rômolo Russo que atenderam parcialmente a apelação que pedia R$ 30 mil de indenização.

Em seu voto, o relator ressalta que vereadores gozam de inviolabilidade por suas opiniões, palavras e votos no exercício do seu mandato dentro da circunscrição do município, porém, consequências temerárias podem surgir de tal prerrogativa se o parlamentar usufruir da imunidade com abuso, convertendo-a em privilégio pessoal.

Ele citou a o entendimento do Supremo Tribunal Federal de que, no caso de vereadores, as palavras ditas em sessão gozam de imunidade absoluta, não podendo o Poder Judiciário adentrar ao mérito de seu conteúdo. Podendo a manifestação do vereador ocorrer entre seus pares, administrativa e politicamente, cabendo à Câmara, se assim entender, aplicar sanções previstas em seu Regimento Interno quando houver excessos cometidos pelos vereadores. No entanto, as manifestações feitas externamente à Câmara Municipal devem, além de ter nexo com o mandato, observar um limite territorial, ocorrendo estritamente dentro da circunscrição do município.

Como houve a disponibilização do discurso na internet, ele alcançou proporções imensuráveis e extrapolou os limites do município.

“Dessa maneira, quando publicou o vídeo na rede mundial de computadores (chamando o apelante de politiqueiro e vagabundo, dando-lhe extensões, sabidamente, para além do Município, incorreu em abuso da imunidade concedida ao exercício de seu mandato”, diz o voto do relator.

 

Fonte: G1


Comentários (0)

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
criar um comentário

Regional

mais notícias

Homem é detido pela GCM por pesca ilegal próximo ao Parque Ecológico de São Carlos
há 12 horas atrás

Homem é detido pela GCM por pesca ilegal próximo ao Parque Ecológico de São Carlos

Homem é detido pela GCM por pesca ilegal próximo ao Parque Ecológico de São Carlos
Carro estacionado pega fogo em rua do Centro de São Carlos
há 12 horas atrás

Carro estacionado pega fogo em rua do Centro de São Carlos

Carro estacionado pega fogo em rua do Centro de São Carlos
Menina senta com idoso que jantava sozinho no Dia dos Namorados e emociona pai
há 12 horas atrás

Menina senta com idoso que jantava sozinho no Dia dos Namorados e emociona pai

Menina senta com idoso que jantava sozinho no Dia dos Namorados e emociona pai
Após desentendimento, jovem mata rapaz com facada em Itápolis (SP)
há 1 dia atrás

Após desentendimento, jovem mata rapaz com facada em Itápolis (SP)

Após desentendimento, mulher mata homem com facada em Itápolis (SP)
Pacientes do Hospital Amaral Carvalho recebem laringe eletrônica
há 1 dia atrás

Pacientes do Hospital Amaral Carvalho recebem laringe eletrônica

Pacientes do Hospital Amaral Carvalho recebem laringe eletrônica